Tarot

O Tarot Mítico (The Mythic Tarot) ou Mitológico, foi criado por Juliet Sharman-Burke, uma professora de Astrologia e praticante de psicoterapia analítica, em parceria com Liz Greene, uma analista junguiana, psicóloga e astróloga. Junto às norte-americanas, Tricia Newell, uma artista plástica de renome, assinou todas as ilustrações das cartas.

Antes do lançamento do Tarot Mítico, a prática era de domínio exclusivo de ocultistas e estudiosos que, propositalmente, mistificavam o simbolismo das cartas. Partindo do princípio que os deuses gregos não são propriedade exclusiva de nenhuma doutrina, caminho ou escola e os seus mistérios, arquétipos e símbolos estão presentes em todos os períodos e culturas da história, em 1986 foi lançado o Tarot Mitológico. A intenção de Greene e Sharman-Burke era, basicamente, fazer com que o tarot voltasse a ser acessível ao grande público que se interessa pelo assunto.

As imagens foram criadas de acordo com a imaginação humana e apresentam, por meio de linguagem poética, padrões humanos e experiências. Assim, o Tarot Mítico ‘trabalha’ como uma espécie de espelho da psique – os símbolos atingem, de maneira inconsciente e oculta, a intuição do intérprete e refletem no mesmo um conhecimento que supostamente não poderia ser revelado racionalmente. Logo, possuir poderes de clarividência não é pré-requisito para ‘desvendar’ o significado das cartas de tarot.

O Tarot Mitológico possui 22 cartas que, através de imagens, retratam os diversos estágios de nossa própria jornada.

Arcanos Maiores

As cartas desta série descrevem os diferentes estágios de uma viagem. A primeira – ‘O Louco’ – não possui número e retrata um jovem que, protegido pela águia de Zeus, se prepara para adentrar no desconhecido.

O ‘desconhecido’ é a viagem da vida que todos os seres humanos fazem desde o nascer, a infância protegida – representada pelas cartas do Mago, da Imperatriz, do Imperador, da Sacerdotisa e do Hierofante; os conflitos da adolescência representados pelas cartas dos Enamorados e do Carro. A maturidade e seus inúmeros desafios, que podem ser aqui visualizados pelas cartas da Justiça, da Temperança, da Força e do Eremita. As cartas da Roda da Fortuna, Enforcado e da Morte simbolizam os momentos de crise, mudanças de vida e perdas. As transformações e os conflitos internos representados pelas cartas do Diabo e da Torre, até, por fim, chegarmos à realização do objetivo, aqui representado pelas cartas da Estrela, da Lua e do Sol.