Espiritismo

O Espiritismo, Doutrina espírita, Kardecismo ou Espiritismo kardecista é uma doutrina filosófica/religiosa mediúnica. Criada (‘codificada’, segundo os adeptos) pelo pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail – mais conhecido por usar o pseudônimo de Allan Kardec – a religião é fundada sobre a existência, o ensino dos espíritos e as manifestações. Segundo Kardec, o espiritismo aliaria filosofia, ciência e religião, buscando um melhor entendimento não apenas do tangível (universo científico), mas também do universo que o transcende (religião).

Kardec

Allan Kardec

O termo ‘Spiritisme’, criado por Kardec em 1857, definiu o corpo de ideias/teses compiladas em sua obra ‘O Livro dos Espíritos’ e reiterar as diferenças entre o espiritismo e o espiritualismo. Quanto aos símbolos do espiritismo, não estranhe o fato de não encontrar nenhum que o represente. No cristianismo, o símbolo é a cruz; o Yin-Yang representa o Taoismo; a Estrela de Davi o Judaísmo; a Lua crescente com uma estrela representa o Islamismo. Mas, e o espiritismo, existe algo que o represente? Normalmente, ao buscarmos os ‘símbolos do espiritismo’ encontramos uma pintura de Allan Kardec ou uma fotografia de Chico Xavier. A imagem de ambos, em vários locais e situações, é usada como uma espécie de símbolo – na falta de algo que o valha – para representar a doutrina.

A falta de símbolos e imagens é explicada como parte das características da religião. Diferente da Umbanda e do Rastafári, por exemplo, que não abrem mão de seus símbolos em sua manifestação religiosa, o Espiritismo ao dispensar os simbolismos, segundo seus adeptos, dá uma maior ênfase ao domínio do pensamento. A prática espírita, essencialmente, busca a simplicidade – ausência de tudo aquilo que não seja necessário. Por isso não há bandeiras ou desenhos na fachada que identifique um local espírita, há apenas o nome da instituição.

Chico Xavier

Chico Xavier

No entanto, na obra ‘O Livro dos Espíritos’ há uma citação, no minimo, curiosa: “porás no cabeçalho do livro o ramo de parreira que te desenhamos, porque é ele o emblema do trabalho do Criador. Todos os princípios materiais que podem melhor representar o corpo e o espírito nele se encontram reunidos: o corpo é o ramo; o espírito é a seiva; a alma, ou o espírito ligado à matéria é o bago”.

Podemos observar que os espíritos destacam a parreira (cepa do vinhedo) como um emblema que representa o trabalho do Criador. Posteriormente, dizem que o mesmo emblema reúne os princípios materiais do corpo e do espírito. O galho representa o corpo; o suco da uva, o espírito; o fruto (perispírito) representa o lado espiritual que se liga à matéria.

Além da analogia, os espíritos também fizeram um desenho que o próprio Kardec reproduziu, conforme as orientações, em O Livro dos Espíritos.

vinha-parreira

Parreira (ou cepa do vinhedo)

A cepa pode ser considerada o símbolo do Espiritismo, ainda que não utilizado. No entanto, tal símbolo assume, essencialmente, a função de ‘logotipo’ e não de uma imagem de adoração.